sábado, 26 de junho de 2010

Alma de amiga


A minha alma de amiga
se condiciona às lembranças,
de todas aquelas tagarelices
tão desconexas,
 que somente assim nos entendíamos.
Aqueles olhos pintados!
Como pude demorar tanto para entender
o que se passava diante deles?
Os olhos do seu corpo se fecharam.
Mas a sua alma está presente na minha.
Sinto a emoção das suas memórias
quando percorro as nossas aventuras.
Ah!... amiga, de tanta coisa louca que te disse
a mais sensata é que te amo.
Sim, a minha vida continua.
E eu ainda tenho você!